Pesquisar

Balanços de Grandes Bancos dos EUA; Volatilidade do Petróleo e Tensões Internacionais

COMPARTILHE O ARTIGO

Mercado In Foco é o nosso giro de mercado diário.

O destaque na agenda econômica de hoje, sexta-feira, 13 de outubro, é a divulgação dos balanços de importantes bancos dos EUA, como o Citi, JPMorgan e Wells Fargo. Outro ponto relevante é o comportamento do mercado de petróleo, que está em destaque devido às sanções dos EUA e às preocupações com a oferta em um mercado já apertado. Os preços do petróleo têm apresentado volatilidade devido a fatores geopolíticos e econômicos, e qualquer desenvolvimento importante pode afetar os mercados globais.

Agenda do dia:

  • EUA: Balanços do Citi, JPMorgan e Wells Fargo, antes da abertura;
  • Marrocos: RCN e Haddad seguem nas reuniões do FMI e Banco Mundial;
  • 00:00 – China: Exportações, Importações e Balança Comercial;
  • 06:00 – EUR: Produção Industrial mensal;
  • 10h00 — EUA: Comunicado do Fed boy Patrick Harker;
  • 11h00 — EUA: Sentimento do consumidor de outubro da Univ. Michigan;
  • 14h00 — EUA/Baker Hughes: Poços de petróleo em operação.

ÁSIA/PACÍFICO

Os mercados asiáticos sofreram quedas generalizadas, influenciados pelos declínios em Wall Street e dados mistos da China. O índice Nikkei do Japão encerrou o dia com uma queda de 0,55%, interrompendo uma sequência de três dias de ganhos. As preocupações com o aumento dos custos de empréstimos, devido ao salto nas taxas de juros dos títulos do Tesouro dos EUA após um índice de preços ao consumidor (CPI) mais alto do que o esperado, pesaram sobre o mercado. As exportações chinesas caíram 6,2% em setembro em relação ao ano anterior, e a inflação ao consumidor permaneceu estável. As bolsas em Hong Kong, Taiwan, Coreia, Xangai e Shenzhen também registraram perdas. Enquanto isso, o minério de ferro subiu em Dalian, mas caiu em Singapura.

  • Tóquio — Nikkei: -0,55%
  • Hong Kong — Hang Seng: -2,33%
  • Taiwan — Taiex: -0,26%
  • Coreia — Kospi: -0,95%
  • China — Xangai: -0,64%
  • China — Shenzhen: -0,79%

EUROPA

Os mercados europeus enfrentaram quedas significativas, influenciados pela expectativa dos resultados dos bancos nos EUA, que marcaram o início da temporada de resultados em Wall Street, e pela preocupação com a fragilidade da economia chinesa. Além disso, a Rússia reintroduziu medidas de controle de capitais em um esforço para estabilizar o rublo, que havia ganhado força devido a sanções dos EUA e aos custos da guerra na Ucrânia. A produção industrial da zona do euro registrou um modesto aumento de 0,6% em agosto, um pouco acima das projeções de +0,5%. Esses fatores contribuíram para o clima de incerteza nos mercados europeus, que já estavam cautelosos após a divulgação dos dados de inflação nos EUA, levando a expectativas de mais altas nas taxas de juros.

  • Londres — FTSE100: -0,59%;
  • Frankfurt — DAX: -0,94%;
  • Paris — CAC 40: -0,86%;
  • Madrid — Ibex 35: -0,81%;
  • Europa — Stoxx 600: -0,82%;

EUA

Hoje, os investidores dos EUA focam sua atenção na temporada de resultados dos grandes bancos de Wall Street, com JPMorgan Chase, Citigroup e Wells Fargo divulgando seus resultados do terceiro trimestre. Esta temporada de resultados marca um período crítico para avaliar a saúde financeira das instituições financeiras e o estado geral da economia. Ontem, os mercados foram influenciados por dados de inflação mais fortes do que o esperado, levando a preocupações de que o Federal Reserve possa optar por aumentar as taxas de juros ainda este ano. O aumento nos rendimentos do Tesouro também pressionou os mercados, com o Dow Jones caindo 0,5%, enquanto o S&P 500 e o Nasdaq registraram quedas de 0,6%. No entanto, o JPMorgan superou as expectativas com sua receita, impulsionado por juros mais altos que compensaram saldos de depósitos mais baixos, resultando em um lucro líquido de US$ 13,15 bilhões e uma receita líquida de juros de US$ 22,9 bilhões, marcando um aumento de 30% ano a ano.

BRASIL/LATINA

Hoje, no Brasil, a agenda econômica é fraca, sem divulgação de indicadores relevantes. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de seis reuniões no Marrocos. Na quarta-feira, o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) subiu 0,26% em setembro, comparado a um aumento de 0,23% em agosto, e o Ibovespa fechou com alta de 0,27%, enquanto o dólar comercial caiu 0,14%, encerrando a R$ 5,0489. Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) elevou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2023, passando de 2,1% para 2,5%. A taxa Selic no Brasil deve terminar o ano em 12,25%, de acordo com a OPEP. O Ibovespa Futuro opera em baixa no retorno do feriado, devido à repercussão de dados de inflação nos EUA mais fortes do que o esperado. No cenário argentino, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) acumulou um aumento de 138,3% nos últimos 12 meses, a maior elevação de preços desde agosto de 1991, levando o Banco Central da República Argentina (BCRA) a aumentar as taxas de juros, com a taxa das Letras de Liquidez (Leliq) de 28 dias subindo de 118% para 133%.

PETRÓLEO

Os preços do petróleo estão em foco devido à continuidade do conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas, o que aumenta as preocupações dos investidores em relação ao fornecimento global de petróleo, inflação e juros. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) manteve as previsões de aumento diário da demanda de petróleo e incrementou a expectativa de oferta por países não membros da OPEP. Os preços do petróleo subiram aproximadamente US$ 3 devido às sanções dos EUA contra as exportações russas, que agravaram as preocupações com o fornecimento em um mercado já ajustado. Além disso, a queda nas receitas federais no Brasil e a perspectiva de uma redução nas receitas relacionadas ao setor de petróleo estão gerando um medo sobre o equilíbrio das contas públicas e a arrecadação do governo federal. O setor de petróleo nacional deve enfrentar uma queda nas receitas em 2023, incluindo royalties, participações especiais e bônus de assinatura, além de uma redução no pagamento de dividendos ao governo.

Para continuar estar sempre atualizado diariamente conheça a Comunidade Nousi.

A CN é a escola de investimentos mais completa do país. São mais de 100 aulas que te ensinarão investimentos em ações, criptomoedas, NFTs, DeFi, stocks, renda fixa, opções, fundos imobiliários, e muito mais! Nela você terá também:

  • Acesso à Carteira Nousi
  • Acesso ao Resumo Semanal
  • Lista de Top Stocks e lista de ETFs
  • Lives Exclusivas com Analistas
  • Insights Diários de investimentos
  • Comunidade de Networking com outros investidores
  • Acesso ao grupo exclusivo de NFT e Gamefi
  • BÔNUS: Acesso ao Minha Primeira Stock

Saiba mais clicando aqui.

Giro de mercado do dia 13/10/2023. Entenda as principais notícias que estão definindo o rumo da economia hoje.

Equipe Nousi

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento

Deixe seu comentário abaixo:

INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL

Receba conteúdo diariamente

Categorias

Receba conteúdos diários gratuitamente

Fale Conosco

Nossas Mídias

Nousi Finance © Copyright 2023 - Todos os direitos reservados

AVISO LEGAL: O investimento em criptomoedas envolve riscos significativos e pode resultar em perda total de seu capital investido. A volatilidade extrema das criptomoedas pode afetar drasticamente seu valor e não há garantias de que você obterá lucros. Você é responsável por avaliar cuidadosamente os riscos e benefícios do investimento em criptomoedas antes de tomar uma decisão de investimento. Este site e seu conteúdo não fornecem aconselhamento financeiro, fiscal ou jurídico. Os investidores devem buscar aconselhamento profissional antes de tomar qualquer decisão de investimento. Não nos responsabilizamos por quaisquer perdas decorrentes do investimento em criptomoedas.